quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Retrospectiva dublinense

A brincadeira começou dia 12 de agosto de 2007. Isso rolou há 6 meses mas a impressão é de que foi há 6 anos. Foram os dias mais agitados que já tive. Cheio de viagens, novos amigos, medos, decepções e (ainda bem!) sucesso. Me lembro da preocupação em fazer amigos e conseguir emprego no primeiro mês. E vejo agora, minha turma formada, amigos novos e um trampo bacana. Olhando pra trás dá pra ver que as coisas sairam melhores do que o planejado. Então, pra fechar o ciclo desse primeiro momento em Dublin, montei uma galeria com as fotos tiradas aqui. Dá só uma olhada!


E que venha a parte 2!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Being irish with step dancing!

Agora que estou quase saindo da Irlanda me baixou uma crise nacionalista de um país que nem é o meu. Então encontrei uns clipes da River Dance no Youtube que resolvi postar por aqui. River Dance é uma trupe de sapateado irlandês que faz sucesso no mundo todo. Eles são o retrato de uma tradição forte na Irlanda... é bem interessante!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

El gran finale (ou não tão finale assim!)

Malas quase prontas. Aqui estou eu me preparando pra jornada de 20 dias mochilando! Depois de alguns pulos aqui e outros ali, chegou a hora de sair rumo ao desconhecido! A trip vai começar por Berlim, passar por Paris, Barcelona, Valencia, Madrid, Porto e Lisboa! Já estou num desespero maluco pra chegar ao Brasil, rever os amigos e depois dar um mergulho no mar da Bahia, mas agora é hora de aproveitar o último mês de frio pra poder dar mais valor ao verão que me aguarda.

17 de fevereiro: Berlin
20 de fevereiro: Paris
23 de fevereiro: Barcelona (d novo!)
25 de fevereiro: Valencia
29 de fevereiro: Madrid
2 de marco: Cidade do Porto
4 de marco: Lisboa
7 de marco: Dublin
15 de marco: BRASIIIILLLLL....!!!

Kutná Hora: bizarrices e moedas tchecas.

Quem falou que eu não consigo ser alternativo? Fui parar em um lugar que até então eu nem sabia da existência. Kutná Hora. A cidade de nome esquisito ao sul da República Tcheca esconde o lugar mais bizarro que já fui em minha vida inteira: o ossário do cemitério local. Uma maluquice! Os caras, ao invés de apenas estocarem os ossos antigos, resolveram fazer arte com restos humanos. Visitar um lugar desses é uma confusão mental, você acha tudo estranho, mas quando para pra olhar com calma, percebe a beleza no meio de tudo aquilo. Fora o ossário, Kutná Hora também é conhecida por ter sido o centro minerador do país, de onde saíram boa parte dos extratos de prata. Devido a isso era também uma grande produtora de moedas, lá eram produzidas as moedas usadas pela Itália.

Coloquei Praga no mochilão, e deu certo!

Viagem fora dos planos é sempre bom. Se a trip é pra República Tcheca, pode ter certeza que é melhor ainda. No meu último final de semana antes de começar o mochilão pela Europa dei um pulo à Praga. Todo mundo já ouviu comentários de que a cidade é realmente muito charmosa e que tudo por lá impressiona. Mas a gente não imagina o que exatamente está por vir. Uma comparação simples? Pegue Ouro Preto (que já é uma cidade mega impressionante) e dê um pimp-my-ride nela! Isso é Praga! Uma Ouro Preto gigante, com castelos, prédios de muitos andares e uma história igualmente fantástica. Um dos passeios imperdíveis é pela cidade subterrânea que existe em baixo do centro velho. Devido às frequentes enchentes os malucos resolveram, ao invés de se mudar, construir uma cidade em cima da outra! Então a cidade que vemos hoje é o segundo andar da cidade original, por baixo existe uma outra cidade. Fala que isso não é louco?

Jogo da Seleção: filma eu Galvão!

Sabe a sensação de assistir a uma final da copa do mundo de futebol em casa? Aquele jogo tenso onde o Brasil tá quase lá? Multiplique a tensão por 10. É essa a sensação de assistir a um jogo (mesmo que amistoso) do Brasil fora de casa. Meu primeiro jogo da Seleção ao vivo. Ao meu lado um amigo iraniano (Reza), um italiano (Ale) e las chicas espanholas (Veronica e Andrea). Todos obrigados a virar torcedores brasileiros... devidamente caracterizados e empolgados. O jogo não foi grande coisa, mas a diversão foi demais. Um programa mais que especial depois de 6 meses longe de casa. A visita ao Croke Park lotado e o golzinho de Robinho no segundo tempo valeram a visita. Placar final: Irlanda 0 x 1 Brasil.



Trip escandinava: Copenhagen e Estocolmo

Voltar à Escandinávia depois de 5 anos foi uma dos pontos altos dessa temporada do lado de cá. Rever os amigos, os lugares, as comidas e festas valeu muito. A viagem começou muito bem comigo perdendo o vôo pra Copenhagen. Eu que me orgulhava de nunca ter perdido um vôo sequer na vida pisei no tomate e por 5 minutos fiquei em Dublin chupando dedo. O resultado foi uma passada por Berlim e um senhor gasto a mais com novas passagens. Era pra eu ter chegado na Quinta às 9 da manhã, mas fui chegar às 9 da noite. Na chegada Ulrik e Trina já estavam no aeroporto me esperando... rolou um jantar bacana no ap do Kasper. Dia seguinte (sexta) voamos pra Estocolmo, na Suécia, onde fizemos um sightseen dos mais bacanas. A cidade é bem maluca, uma mistura interessante entre o antigo e o hiper-moderno. O Sábado ficou reservado para a sempre interessante capital dinamarquesa. Copenhagen continua linda e com o ar de nobreza que só ela tem. Dessa vez visitei lugares que ainda não conhecia, como o castelo Rosenborg onde fica o tesouro da família real e o distrito de Cristiania, onde os hippies vivem sossegados e na onda legalizada. Sem dúvida, um pulo a esse canto ao norte da Europa é uma experiência e tanto! Eu recomendo e ainda devo voltar mais e mais vezes por lá. A trip rolou entre os dias 17 e 20 de janeiro de 2008.